domingo, 30 de outubro de 2011

I’m So Glad I’m Standing Here Today – The Crusaders & Joe Cocker (1981)



* O YouTube não permitiu a exibição deste vídeo na Alemanha, apesar de ter usado fotografias autorizadas e utilizado meu próprio disco de vinil para inserir a canção. Peço desculpas aos leitores da Alemanha.


O grupo The Crusaders teve início no final dos anos de 1960. Na época, The Jazz Crusaders fazia uma mistura de Jazz tradicional, Gospel e Rock. Nos anos de 1970, o grupo passou a se chamar “The Crusaders” apenas, mas com a mesma mistura de ritmos, acrescentado o Pop e o Funk.
Foto: CD do autor.
The Crusaders estava prestes a gravar o terceiro álbum para a MCA Records em 1981, quando Joe Sample, pianista e líder do grupo, chamou o letrista Will Jennings para compor. Em vários dos álbuns do grupo – essencialmente instrumental – um artista era convidado a cantar. Para o álbum “Standing Tall” (MCA, 1981) o escolhido foi Joe Cocker.
Em entrevista, o letrista Will Jennings disse:
“Parecia que todos haviam escrito: ‘Fora Cocker’ – todos, menos nós. Por isso, escrevi uma música acerca de sobrevivência e triunfo – que penso eu -, ajudou Cocker a sobreviver e triunfar”.

Foto: disco do autor.
Foto: disco do autor.
Joe Cocker tinha apenas 37 anos, parecia ter muito mais, e já estava desacreditado por todos. Apesar da reabilitação, os convites para shows eram escassos e as gravadoras não o queriam mais. Quando o grupo “The Crusaders” levou a ideia de convidar Cocker para cantar duas músicas no álbum, a MCA Records foi contra: era um cantor sem crédito e sem contrato.
O álbum “Standing Tall” tem apenas 7 faixas. Joe Cocker cantou “I’m So Glad I’m Standing Here Today” com o entusiasmo de um jovem e a poderosa voz estava intacta. Sem exagero, Joe Cocker "roubou" o álbum. A última faixa é uma versão belíssima de "I'm So Glad... ".
O nome de Joe Cocker não aparece na capa do álbum. Apenas no verso, lê-se seu nome nas faixas “I’m So Glad I’m Standing Here Today” e “This Old World’s Too Funky For Me”. Fotografia, nem pensar. O single (compacto) foi lançado e as primeiras prensagens também não tinham uma fotografia de Cocker. Depois que música se tornou um sucesso mundial, uma nova leva de singles (compactos) trouxe uma fotografia de Cocker ao lado dos músicos. Seu envelhecimento aos 37 anos era perturbador. No Brasil, a música foi muito executada nas estações de rádio do Rio de Janeiro. Os locutores anunciavam: "Joe Cocker & Crusaders" e não o contrário.
As duas músicas cantadas por Joe Cocker foram indicadas ao Grammy Awards. Segundo Will Jennings:
“Na cerimônia do Grammy Awards, no Shrine Auditorium, Joe Cocker roubou a cena. O diretor de cinema Taylor Hatckford foi nocauteado pela performance e me pediu que escrevesse uma letra para seu próximo filme ‘An Officer and a Gentleman’ (A Força do Destino, 1982) e queria que Cocker a cantasse. ' I’m So Glad...'  marcou o recomeço de Cocker e ‘Up Where We Belong’ consolidou sua volta.”



Notas Fora da Pauta (Notes Outside The Musical Score)
Nota 1 – “I’m So Glad I’m Standing Here Today” não venceu o Grammy (Best Inspirational Music).
Nota 2 – “Standing Tall” é o album de maior vendagem do grupo “The Crusaders”.
Nota 3 – “Up Where We Belong” recebeu o Academy Awards de melhor canção e o Grammy Awards de Melhor Canção em Dueto de 1982. Foi 1º lugar na Billboard e 4º no British Top 50 Charts.
Nota 4 – No filme “An Officer and a Gentleman”, os atores Debra Winger e Richard Gere dançam ao som de “Feelings”, de Morris Albert, compositor brasileiro.
Nota 5 – A discografia de Joe Cocker após a reabilitação é extensa e repleta de sucessos.
Nota 6 – Em 2007, em entrevista à Agência EFE, Cocker respondeu que não é compositor, prefere escolher boas músicas de outros autores e interpretá-las de modo que pareçam compostas por ele. E, humildemente, acrescentou: "Não tenho autoridade para dar conselhos". 
Nota 7 – Em 2007, Joe Cocker recebeu a Ordem de Oficial Império Britânico (OBE). Em comemoração, fez duas apresentações em Londres e Sheffield, sua cidade natal.
Nota 8 – Em 2010, Cocker lançou “Hard Knocks” (Sony), seu mais recente e elogiado álbum. Sua agenda de shows continua lotada.
Jacy Dasilva

Um comentário:

  1. Jacy,
    Demorou mas mandou logo vários textos, todos de ótima qualidade. Quanto ao Joe Cocker, permita-me dizer-lhe que a história é encantadora, pelo que tem de bravura diante do vício. Para mim, torna-se, além do excelente cantor, músico e compositor que é (embora o negue), um exemplo de ser humano.
    Mais uma vez, parabéns!

    Jorginho

    ResponderExcluir