terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Surfboard – Antônio Carlos Jobim (1963)



Antônio Carlos Jobim nasceu há 84 anos.
Sua música encantou o mundo e inspira novos compositores.
Não vou fazer uma biografia.
Hoje, apenas uma história na qual ele para homenagear um amigo, tomou para si o jeito de compor deste e criou um clássico.
E o nome da canção é apropriado. 
Pouco se fala, mas Antônio Carlos Jobim (1927-1994) foi um pioneiro surfista.
Isso mesmo. Com as velhas pranchas de madeira. Tampouco, não vou contar suas façanhas sobre as ondas.
Roberto Menescal, no início do movimento da Bossa Nova, foi professor de boa parte dos jovens que adotaram o novo ritmo como música.
Antes da Bossa Nova, os jovens – não só no Rio, mas no Brasil inteiro – não tinham um estilo feito para eles. O violão sincopado e jazzístico foi um alento para jovens que não gostavam da música brasileira feita na época e fugiam do acordeão e piano.
Os jovens ouviam o Jazz e o iniciante Rock & Roll.
Na zona sul do Rio, as escolas de violão, chamadas academias, brotaram a partir dos saraus de apartamentos.
E, em pouco tempo, até os alunos mais avançados davam aulas para os iniciantes, tamanha era a procura.
Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli iniciaram parceria musical no verão de 1960-1961.
Desse primeiro encontro nasceram clássicos como “Nós e o Mar”, “Ah, Se Eu Pudesse”, “A Morte de um Deus de Sal”, “Rio” e “O Barquinho” (conhecida no exterior como “Little Boat”) e outras músicas de bastante sucesso.
Nascia uma longa e frutífera parceria musical.
E onde entra Jobim nessa história?
Em 1963, Jobim telefona para a casa de Menescal, que morava em Copacabana, atende e Jobim pergunta:
- Você pode vir aqui em casa?
Menescal responde:
- Claro!
Jobim ainda residia em Ipanema, pertinho.
E diz o motivo:
- É que eu fiz uma música sua!
Menescal não entendeu nada e rumou para Ipanema.
Chegando, Roberto Menescal recebeu um presente, uma homenagem.
Jobim apanhou os acordes que Menescal usava com mais frequência e fez uma música completamente original - Surfboard.
As semelhanças com os acordes e estruturas musicais do que Menescal já havia composto – especialmente em “Rio” e “O Barquinho” – são evidentes.
Assim nasceu Surfboard, gravada e regravada inúmeras vezes por Jobim, Menescal e muitos outros.
Jobim não era chamado "maestro soberano" sem razão.
No documentário “7 X Bossa Nova” (2005), Menescal conta essa e outras histórias maravilhosas.

Nota: Jobim nasceu no Rio de Janeiro em 25 de janeiro de 1927, o mesmo dia do aniversário de fundação da cidade de São Paulo.
Em 1992, compôs "Te Amo, São Paulo".

Eu também.
Jacy Dasilva

Um comentário:

  1. Jacy:
    Nasci, vivi e até hoje vou para São Paulo com alguma regularidade.
    Acredite: O Tom é muito melhor como compositor do que São Paulo é como cidade.
    Por isso hoje me escondo aqui em Guarujá...
    Abraços, irmão

    Renzo

    ResponderExcluir