quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Cornish Rhapsody – Huberth Bath (1944)



O filme britânico “Love Story” de 1944 é um romance ambientado em plena Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Dirigido por Leslie Arliss (1901-1987) baseado num conto de J.W. Drawbell.
A produção dos estúdios Gainsborough fazia parte dos esforços de guerra.
Atualmente, ainda é lembrado mais pela trilha sonora que pela história.
Depois do sucesso do filme “Dangerous Moonlight” e seu tema musical, “Warsaw Concerto”, por que não repetir a fórmula?
Em “Love Story”, uma pianista chamada Lissa Campbell, interpretada por Margaret Lockwood (1916-1990), anuncia sua retirada da vida musical para ingressar na Royal Air Force (RAF) como voluntária.
Foi rejeitada após o exame médico ter constatado sequelas fatais de uma escarlatina em sua adolescência.
Segundo os médicos, Lissa iria morrer em pouco tempo.
Dado o veredito, parte para um retiro na região da Cornuália (Cornwall), no sudoeste da Inglaterra.
Chegando ao hotel, Lissa aluga uma charrete (cosmopolita, queria alugar um carro) e passeia até uma colina à beira mar de onde tira a inspiração para compor “Cornish Rhapsody”.
Ainda na colina, encontra o jovem Kit Firth, interpretado por Stewart Granger (1913-1993), ex-piloto da RAF, sobre o qual pairavam acusações de covardia.
Em verdade, estava ficando progressivamente cego após uma explosão ocorrida numa batalha aérea. Foi para a Cornuália trabalhar em mineração.
Lissa e Kit iniciam um romance, mas escondem suas doenças.
Parece um dramalhão, mas não é.
O romance e os diálogos têm o melhor do humor inglês.
Kit faz uma cirurgia milagrosa que lhe devolve a visão e o posto de piloto da RAF.
Lissa perde Kit para uma rival e inicia série de apresentações para as tropas aliadas pela Europa e norte da África.
O reencontro de Lissa e Kit se dá no Royal Albert Hall (filmado no Minack Theatre, na Cornuália) durante a apresentação de seu concerto de despedida dos palcos.
“Cornish Rhapsody” foi composta por Huberth Bath (1883-1945), um dos pioneiros em trilhas sonoras do cinema britânico.
No filme, a própria Margaret Lockwood toca a composição, porém a interpretação foi substituída pela gravação da pianista Harriet Cohen.
O maestro Sidney Beer conduziu a National Symphony Orchestra para as filmagens.
As Gravações
A composição possui inúmeras gravações. Comento as mais representativas. As lojas online oferecem o tema para venda avulsa, por download ou CD.
Foto: site http://www.silversirens.co.uk/
A gravação original do filme foi sucesso na Europa no mesmo ano do filme.
O disco foi lançado nos Estados Unidos em 1946, alcançou o hit parade clássico da revista Billboard em junho, chegando ao quinto lugar em vendas.
Não sem motivos, “The Warsaw Concerto”, com The Boston Pops Orchestra, estava no quarto lugar.

A gravadora Naxos lançou em CD “Cornish Rhapsody” original em 1998.

Em 1960, The Boston Pops Orchestra, regida por Arthur Fiedler (1894-1979), gravou a obra. O solo de piano é de Leo Litwin.
Em 1990, a RCA lançou os CDs “Motion Pictures Classics” volumes 1 e 2, cobrindo gravações da orquestra no período de 1954 até 1971.
O trabalho primoroso dos engenheiros de som Robert Warren e Michael DiCosino dos Laboratórios Dolby e a remasterização de Nathaniel Johnson, Larry Frankie e David Satz, trouxeram vida nova às antigas gravações. É difícil acreditar que algumas gravações tenham mais de meio século.
O site amazon.com tem os discos à venda.

Mantovani gravou uma versão impecável, sem o excesso de cordas característico.
No Brasil, o LP “Mantovani – A Lenda da Montanha de Cristal” (1961) foi muito popular e diversas vezes relançado. Muitos ainda procuram o disco. Em 1996, a Polygram relançou a gravação no CD “Mantovani e sua Orquestra”.

Outra gravação que merece destaque é de 1986, relançada em 1992: "The Music of Famous Film Themes", com The Hamburg Radio Dance Orchestra (Stardust/Wisepack), regida por Gilbert Vinter.

Em 1989, Richard Clayderman com a Royal Philharmonic Orchestra gravaram a composição. O CD está disponível na amazon.com.

Em 2009, “The Golden Age of Light Music”, Sound Stage Orchestra (Guild Light Music) traz a gravação.
O CD ainda tem “Aquarela do Brasil” de Ary Barroso (1903-1964).


Notas Fora da Pauta

Nota 1 – No Brasil o filme recebeu o nome de “Uma História de Amor”. Nos Estados Unidos, teve o nome trocado para “A Lady Surrenders”.

Nota 2 – Margaret Lockwood é mais conhecida no Brasil pelo filme “A Dama Oculta” (The Lady Vanishes, 1938), de Alfred Hitchcock (1899-1980).
A atriz teve longa carreira no teatro, cinema e televisão. Trabalhou até 1980.

Nota 3 – Stewart Granger (britânico naturalizado americano) fez grande sucesso como ator em Hollywood. Ainda é lembrado por Scaramouche de 1952.

Nota 4 – Hubert Bath faleceu no ano seguinte ao filme, mas sua obra permanece até hoje. Sua composição “Out of The Blue” é usada desde 1948 como tema de abertura do noticiário esportivo da rádio BBC.

Nota 5 – O DVD do filme pode ser encontrado no Brasil com o título Love Story (1944). O lançamento é da Interfilmes/Classic Line.
  
Nota 6 – Rapsódia é o termo musical empregado para designar obras musicais de apenas um movimento e sem estrutura musical rígida, permitindo improvisos.

Jacy Dasilva

Nenhum comentário:

Postar um comentário