quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Boas Festas – Assis Valente (1932)

Em 2011 comemoraremos o centenário de nascimento de Assis Valente, mais um pioneiro de nosso samba.
Nasceu na Bahia em 1911 e faleceu no Rio de Janeiro em 1958.
Em sua breve existência, Assis Valente foi prático de farmácia, artista de circo, estudou desenho, ilustração, escultura e prótese dentária (formado pelo Liceu de Artes e Ofícios de Salvador) e compositor.
Veio para o Rio Janeiro em 1927 e vendeu algumas ilustrações para as revistas “O Cruzeiro”, “Fon-Fon” e outras.
A vida de freelancer na imprensa já era dura naqueles tempos.
Resolveu abrir um consultório como protético e foi bem-sucedido na profissão, chegando a ser considerado um artista pelos seus colegas.
Mas Assis gastava mais do que recebia. E também carregava uma tristeza incurável.
Heitor dos Prazeres (1898-1966) incentivou Assis a compor seus primeiros sambas.
Assis Valente nutria uma paixão platônica por Carmen Miranda (1909-1955), que gravou cerca de 25 composições dele. Carmen recusou “Brasil Pandeiro”, feita especialmente para ela, possivelmente evitando alimentar um sentimento que ela não nutria por Assis.
Compôs cerca de 100 sambas, marchas e marchas-rancho.
Destaco algumas pelas quais sempre é lembrado: “Brasil Pandeiro”, “Cai, Cai, Balão”, “E o Mundo Não se Acabou”, “Recenseamento” (indico a gravação de Ademilde Fonseca), “Camisa Listada” (procure a gravação com Maria Bethânia acompanhada do piano inesquecível de Luiz Carlos Vinhas), “Boneca de Pano” e “Fez Bobagem”.
Em 1932, morava num quarto ou cubículo (o termo varia conforme os autores pesquisados) na praia de Icaraí, Niterói, quando compôs “Boas Festas”, a música natalina brasileira mais famosa.
Os biógrafos acrescentam que a inspiração veio de um desenho no qual uma menina coloca suas meias na janela e aguarda a visita de Papai Noel.
Da solidão veio a música carregada de tristeza e melancolia, mas de beleza que atravessou as décadas e o século.
A canção foi gravada várias vezes por Carlos Galhardo (1913-1985), pelos Novos Baianos em 1972 e mais recentemente por Maria Bethânia.
No vídeo do YouTube, a interpretação do mestre João Gilberto.
Boas Festas!

Jacy Dasilva


Um comentário: