segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Gilberto Gil - Retirante (2010)

Lançado em CD as primeiras gravações de Gilberto Gil. É o CD duplo "Retirante", pela gravadora Discobertas.
O lançamento data de agosto mas não tem onde comprar, inexplicavelmente.
Traz as primeiras gravações do gênio baiano, inclusive em 78 rotações. Se você só conhece Gil a partir de "Domingo no Parque", vale a pena procurar.
A caixa "Ensaio Geral" (13 CDs), lançada em 1999, cobre o período do artista na gravadora Philips, atual Universal Music. Outra caixa, chamada "Palco" (28 CDs), de 2002, relançou o período da Warner. Seus discos sempre venderam bem, desde os tempos do LP.
A parceria de Gil e o produtor, ex-presidente da Philips e Warner e amigo, André Midani está toda registrada em CDs.
Mas faltava reunir suas gravações mais primitivas pela JS, RCA e Arlequim.
O produtor Marcelo Fróes põe no mercado o que faltava.
O projeto gráfico da capa pode não empolgar. Mas o encarte de 16 páginas é lindo.
O trabalho de garimpo reuniu 32 faixas divididas em dois CDs.
A qualidade é satisfatória. Afinal, as primeiras gravações são de 1962. Tem coisas interessantes, como "Povo Petroleiro” e “Coça Coça Lacerdinha”.
É verdade que parte do material já foi lançado anteriormente em outras compilações de Gil, mas em "Retirante" está tudo no mesmo lugar. Tem as primeiras gravações de “Procissão” e “Roda”.
O segundo CD é ainda mais interessante porque resgata uma gravação demo para a editora musical Arlequim, em 1966.
A simplicidade de Gil e seu violão em 18 músicas é comovente.
Gilberto Gil nunca foi de pular de gravadora em gravadora. Ao contrário, sua discografia é de fácil pesquisa: basicamente Philips (Universal) e Warner.
Daí a a improtância de "Retirante".
Mas Phonopress não entende a dificuldade em encontrar o bom disco.
Nos Estados Unidos, a loja online www. amazon.com tem. Aliás, tem até os discos de Gil que nunca foram lançados no Brasil. A HMV britânica, idem.
Uma parte significativa de CDs fundamentais de música brasileira só é encontrada fora do Brasil. E não estamos falando de artistas que partiram e não voltaram ou obscuros.
Jobim nunca saiu de catálogo nos Estados Unidos. Elis Regina tem toda a discografia lançada e relançada no Japão. Marcos Valle é figurinha fácil nas lojas inglesas.
O CD "Retirantes" não tem na Saraiva, Livraria Cultura, Fnac, Americanas ou Submarino.
Mas eu juro que ele existe. Comprei, por mero acaso, num hipermercado, num cesto cheio daqueles discos que você tem que garimpar e, invariavelmente, não acha nada aproveitável.  O site do próprio mercado não tinha o CD para venda. Telefonei para as poucas lojas de discos remanescentes no Rio e ninguém tinha.
Um site pra lá de suspeito afirma ter mas sem nenhum sistema de proteção à compras online.
Listo as faixas - que são boas. O CD não se destina apenas a colecionadores e fãs.
É pura MPB.

CD 1
01. Povo Petroleiro
02. Coça Coça Lacerdinha
03. Serenata do Teleco-teco
04. Maria Tristeza
05. Vontade de Amar
06. Meu Luar, Minhas Canções
07. Decisão - Amor de Carnaval
08. Vem, Colombina
09. Procissão
10. Roda
11. Iemanjá
12. Ensaio Geral - Versão Compacto
13. Minha Senhora
14. Felicidade Vem Depois

CD 2
01. Me Diga, Moço
02. Rancho da Rosa Encarnada
03. Vento de Maio
04. Ensaio Geral
05. Rancho da Boa Vinda
06. Serenata de Teleco-teco
07. Meu Choro Pra Você
08. Beira-mar
09. Zabelê
10. Minha Senhora
11. Ninguém Dá o que Não Tem
12. Decisão - Amor de Carnaval
13. Antigamente
14. Maria - Me Perdoe, Maria
15. Iemanjá
16. A Última Coisa Bonita
17. Retirante
18. Cantiga


Se o garimpo de reunir as faixas é admirável, a dificuldade para encontrar o CD é vergonhosa.
Jacy Dasilva

Nenhum comentário:

Postar um comentário