quarta-feira, 17 de novembro de 2010

The Beatles disponível no iTunes

Foto: Alcemar Oliveira. Gentilmente cedida para Phonopress


Há cerca de 3 meses, perguntaram a Yoko Ono sobre os avanços nas negociações para colocar o catálogo dos Beatles no iTunes (Folha de São Paulo, 6 de agosto de 2010). Ela respondeu:

"Os Beatles ficarão longe do iTunes por um bom tempo.
Esperem sentados pela venda de músicas dos Beatles no iTunes ou outras lojas online".

O tempo passou rápido.
Hoje, o site americano iTunes anuncia a venda online de todo o catálogo dos fab four.
Mas não fique muito animado - o Brasil está de fora. O "privilégio" está disponível em apenas 25 países.
Também não se estusiasme à toa. O preço por cada arquivo de áudio (com aquela qualidade duvidosa) é salgado.
Faça as contas.
Cada faixa está saindo por US$ 1,29 (cerca de R$ 2,25).
Os álbuns simples estão custando US$ 12,99 (cerca de R$ 22,46).
Os duplos custam US$ 19,99 (R$ 34,60).
Aqui mesmo no Brasil é possível comprar toda coleção dos Beatles por valor semelhante (dependendo do álbum) nas lojas (Saraiva, Fnac, Cultura) ou online (Submarino, Saraiva, Cultura, etc.).
Os CDs trazem a vantagem de sistematizar os álbuns como foram concebidos; tiveram boa remasterização em 2009; não têm nenhum tipo de compressão canhestra e ainda oferecem um documentário sobre a história de cada disco.
Bom, o material gráfico (fotos, desenhos e textos) também é de primeira e mais um ponto em favor dos CDs.
Além disso, você armazena para ouvir do jeito que quiser - comprime ou não.
Um CD não é eterno, mas tem a vida mais longa do que qualquer tocador de MP3.
Os iPods de hoje têm uma capacidade que dispensa qualquer compressão.
Oficialmente, os Beatles tiveram a primeira vida discográfica entre 1962 e 1970. Foram um fenômeno musical e mercadológico.
Venderam muito no velho formato LP. Após a separação, fizeram mais dinheiro com o velho catálogo.
Novo sucesso de vendas na primeira versão em CD de 1986.
A versão de 2009 arrastou grisalhos, marmanjos às lojas e, surpreendentemente, os jovens -  uma nova legião de admiradores.
E as vendas nunca pararam no mundo inteiro.
A EMI precisa vender tudo de novo para sair da falência. Há 48 anos, os Beatles "salvam" a gravadora britânica. A fonte de Phonopress é a edição eletrônica do The New York Times de ontem.
É um milagre que John, Paul, George e Ringo tenham ficado ricos, pois os contratos assinados eram leoninos. As fitas eram economizadas e, até para uma geladeira (com cadeado) no estúdio, foi necessário ofício ao presidente da gravadora.
Paul McCartney, Ringo, as viúvas de John Lennon e George Harrison não precisam do iTunes.
O iTunes e a EMI precisam dos Beatles.
Os Beatles farão novamente história no iTunes.
Jacy Dasilva

Nenhum comentário:

Postar um comentário